Eucalipto-Saligna

Nome científico: Eucalyptus saligna Sm., Myrtaceae.

Outros nomes populares: eucalipto, saligna.

Nomes internacionais: blue gum (Austrália), sidney blue gum (Austrália).

Ocorrência:
• Brasil: Bahia, Góias, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo.
• Outros países: África do Sul, Chile, Congo, Malauí, Nigéria, Nova Zelândia, Quênia, Zaire.

 

eucalipto saligna tangencial 150x150 Eucalipto Saligna madeireira madeira   eucalipto saligna radial 150x150 Eucalipto Saligna madeireira madeira   eucalipto saligna fotomacrografia 150x133 Eucalipto Saligna madeireira madeira

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Características sensoriais: cerne e alburno distintos pela cor, cerne avermelhado ou castanho-avermelhado-claro; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; grã direita; textura média.

Descrição anatômica macroscópica:
• Parênquima axial: indistinto mesmo sob lente; as vezes paratraqueal vasicêntrico formando confluências curtas e oblíquas.
• Raios: visíveis só sob lente no topo e na face tangencial.
• Vasos: visíveis só sob lente no topo e na face tangencial; porosidade difusa, disposição diagonal; numerosos, médios, exclusivamente solitários; obstruídos por tilos.
• Camadas de crescimento: variando de distintas a indistintas.

DURABILIDADE / TRATAMENTO

Durabilidade natural: Cerne considerado de moderada a baixa resistência aos organismos xilófagos.

Tratabilidade: cerne impermeável às soluções preservativas mesmo quando submetida à impregnação sob pressão, porém o alburno é fácil de tratar.

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

Trabalhabilidade: A madeira de eucalipto-saligna é considerada fácil de ser desdobrada quando utilizados os métodos adequados. É fácil de ser trabalhada em operações de usinagem (torneamento, furação e lixamento). Apresenta bom acabamento. (IPT,1989b)

Secagem: A secagem é classificada como rápida com a ocorrência de rachaduras e empenamentos. (IPT,1989b)

Movimentação da madeira em uso:  moderada.

PROPRIEDADES FÍSICAS

Densidade de massa (r):
• Aparente a 15% de umidade (rap, 15): 690 kg/m³ (IPT,1989a)

Contração:
• Radial: 6,8 %
• Tangencial: 13,4 %
• Volumétrica: 23,4 %

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Flexão:
• Resistência (fM):
Madeira verde: 77,4 MPa
Madeira a 15% de umidade: 101,6 MPa
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 29,7 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 11876 MPa

Compressão paralela às fibras:
• Resistência (fc0):
Madeira verde: 32,1 MPa
Madeira a 15% de umidade: 49,2 MPa
• Coeficiente de influência de umidade: 4,6 %
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 25,1 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 13288 MPa

Outras propriedades:
• Resistência ao impacto na flexão – Madeira a 15% (choque):
Trabalho absorvido: 32,2
Coeficiente de resiliência R: 0,52
• Cisalhamento – Madeira verde: 9,2 MPa
• Dureza janka paralela – Madeira verde: 4531 N
• Tração normal às fibras – Madeira verde: 6,3 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85)
Fonte:
(IPT,1989b)

USOS

Construção civil:
• Pesada externa:
postes
mourões
cruzetas
• Pesada interna:
caibros
vigas
• Leve interna, estrutural:
ripas

Assoalhos:
tacos

Mobiliário:
• Utilidade geral:
móveis estândar
partes internas de móveis inclusive daqueles decorativos

Outros usos:
lâminas de utilidade geral
chapas compensadas
embalagens

fonte: IPT